Fala pessoal, tudo bem?

Neste post vou apresentar uma série de videos que criei para ajudar vocês a criar do zero um cluster virtualizado.

O que utilizei:

  • Freenas 9.2;
  • VMware Workstation (9 ou 10);
  • Iso do Windows server 2008 R2 (sem piratear heim! ;-));
  • Iso do SQL SERVER 2008 R2 (mesma dica de cima!);

Estou testando o cluster em uma máquina física de 16 Gb de RAM e estou utilizando em torno de 150 Gb de espaço em disco. No caso estou usando um processador i7.

 

Espero que gostem e seja útil.

Parte 1 – Criação do storage:

Parte 2 – Criando o AD:

Parte 3.1: Instalando o Sistema Operacional dos servidores do cluster e gerando templates.

ps: Sim, eu dividi a parte 3 em duas, caso contrário os videos ficariam muito extensos.

Parte 3.2: Configurando o cluster no Windows:

Parte 4, final – instalando o SQL SERVER no Cluster:

É isso pessoal, espero que gostem e seja útil de alguma forma. Pelo menos para brincar!

Abraços!

Marcelo

 

Boa noite pessoal,

Recentemente passei um perrengue pois não conseguia acessar uma instância que nossa equipe administraria mas que não tinha acesso ainda pois tratava-se de um sistema legado.

Resumindo: Ninguém tinha ideia de qual era a senha do famoso e odiado ‘SA’. E ninguém do lado do cliente tinha acesso administrativo na instância em questão. As aplicações estavam funcionando (ainda e por sorte) em modo ‘piloto automático’.

Em comum acordo com o cliente, realizamos o seguinte procedimento:

1. Criamos um usuário local no Windows com privilégio de Administrador;
Screen Shot 2014-10-18 at 19.36.57

2. Acessamos o Windows a partir deste usuário;

3. Paramos a instância do SQL SERVER e de todos os outros serviços relacionados a esta;

4. Alteramos a configuração da instância para ser iniciada em modo SINGLE USER (-m);

 Screen Shot 2014-10-18 at 20.57.51

5. Alteramos a configuração de autenticação do serviço do SQL SERVER para o usuário criado no passo 1;

Screen Shot 2014-10-18 at 20.58.23

6. Conectamos à instância via SQLCMD e …

Screen Shot 2014-10-18 at 21.22.18

7. Adicionamos o usuário recém-criado como sysadmin da instância;

8. Saímos do SQLCMD, pois somos loucos por Windows, interface gráfica e SSMS! 🙂

9. Alteramos o serviço do SQL SERVER para Local System como estava anteriormente e retiramos o parâmetro -m da instância;

10. Reiniciamos o serviço do SQL SERVER e iniciamos os outros serviços relacionados a instância e …

Screen Shot 2014-10-18 at 21.25.49

11. Acessamos o SQL SERVER com sucesso a partir do SSMS com o nosso usuário recém-adicionado à role de SYSADMIN!

Screen Shot 2014-10-18 at 21.30.04

Ps:

  • Esta não é a melhor prática para se obter acesso à um SQL SERVER e fere vários protocolos e melhores práticas de segurança da informação – a melhor forma é ter a documentação do ambiente devidamente atualizada.
  • Tudo foi feito com consentimento do cliente, no caso, atual dono do sistema que herdou o servidor. Não tente fazer nada por ‘debaixo dos panos’, muito menos indisponibilizar suas bases de dados sem que ele fique sabendo!
  • No passo 7 utilizamos a procedure sp_addsrvrolemember para adicionarmos nosso LOGIN ao grupo de sysadmin pois realizamos este procedimento em um SQL SERVER 2008 R2. No entanto, este comando está marcado para entrar em desuso. O ideal é utilizar o ALTER SERVER ROLE (compatível com SQL SERVER 2012+).

É isso pessoal, espero que ajude vocês caso tenham algum problema e até a próxima!

UPDATE: Se nada disso funcionar, tente inicar o SQL SERVER a partir de um prompt de comando com o parametro -m”SQLCMD” e a partir de outro prompt tente executar o SQLCMD.

Fontes de referencia:

Abaixo o vídeo com o passo a passo realizado:

Fala galera,

Há algum tempo o Adam Machanic e o Jonathan Kehayias postaram scripts que ajudam a “inchar” as bases de dados AdventureWorks do SQL SERVER, para conseguirmos fazer testes mais reais em cima de um WORKLOAD mais “plausível”.

Para os SQLGeeks de plantão:

https://www.sqlskills.com/blogs/jonathan/enlarging-the-adventureworks-sample-databases/

http://sqlblog.com/blogs/adam_machanic/archive/2011/10/17/thinking-big-adventure.aspx

 

Para baixar as bases de exemplo iniciais:

http://msftdbprodsamples.codeplex.com/

Enjoy! 😉

Fala pessoal,

Neste post vou falar sobre os limites e melhores práticas a respeito de configurações de memória no SQL SERVER.

O funcionamento

O SQL SERVER possui dois limites configuráveis de alocação de memória: inferior e superior.
Quando o serviço do mesmo é iniciado apenas uma pequena quantidade de memória é alocada (o suficiente para alocar as estruturas de funcionamento de buffers), não necessariamente o limite inferior configurado.
Quando o SQL SERVER alcançar o limite mínimo ele manterá o Buffer Cache no mínimo neste valor. O limite máximo indica para o SGBD não ultrapassar determinado valor de alocação de memória.
Vale lembrar que este limite configurável determina apenas o valor do Buffer Cache, o SQL SERVER normalmente necessita de mais 20% de memória para funcionamento adequado.

memoria SQL SERVER - mantenha configurada!

A boa prática

O ideal assim que terminamos de instalar a instância do SQL SERVER é reservar um valor específico como limite mínimo e um valor superior como limite máximo. Respeitando os seguintes fatores:

  • O SQL SERVER vai consumir em média mais 20% de memória acima do limite máximo e;
  • O Sistema Operacional também precisa trabalhar! Deixe em torno de 20% da memória total do servidor para ele.

A péssima prática

Consideramos péssimas práticas:

  1. Deixar de configurar os limites de memória do SQL SERVER;
  2. Configurar os limites de memória com valores iguais.

São péssimas práticas porque:

  1. Caso o S.O. sinalize pressão de memória o SQL não vai liberar nada;
  2. Mesma situação, não será possível dar uma “folga” para o S.O. caso haja pressão externa de memória.

Abaixo o vídeo com a nossa experiência: