Hoje fui abordado com uma questão interessante por um amigo:

“Tem um desenvolvedor aqui na empresa que mesmo que eu combine com ele que não é pra alterar uma procedure, ele vai lá e altera ela”

ps do Marcelo: dar poder pro DEV e pedir pra não alterar algo é que nem dar doce pra criança e pedir pra não comer!

Brincadeiras à parte, se não fossem Desenvolvedores não haveria a necessidade de banco de dados e eu morreria de fome! Sou amigo de vários inclusive.

A necessidade dele é simples:

  • O dev pode ver qualquer definição de PROC, VIEW, TABLE, etc.
  • O dev NÃO pode alterar absolutamente NADA!
  • Se um sistema criar uma procedure futuramente o dev precisa ter permissão automaticamente pra essa nova proc sem que eu (lazy) dba mova um dedo.

A solução: GRANT VIEW DEFINITION, caso precise permitir também que ele execute as procs no mesmo padrão, GRANT EXECUTE on schema::[schema]

No vídeo abaixo ilustro melhor e mostro o funcionamento com exemplos. Os scripts estão um pouco mais abaixo.

Espero que ajude!

Happy SQLSERVING!

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Scripts:

Para excutar como DBA logado:


--um usuario
--usuario pode VER definições de metadados (corpo de procedures, views, etc)
--não deve alterar nada
--10 procs as 16:00
--grant view definition on proc to user
--18:00 - sistema criou mais 5 procs
--GRANT VIEW DEFINITION TO user
--------------------------------
--10 procs
--grant execute on proc to user
--cria mais 5 procs
--grant execute on schema::[dbo] to user
---------------------------------------------------

--Script para teste de validação de grant:

create login pombo with password = 'Pa$$w0rd';
GO
create user pombo for login [pombo]
GO
--------------------------------------------
--cria procs:
--1
create procedure proc_teste_1
as
begin
print 'Hello proc 1'
end
GO
--2
create procedure proc_teste_2
as
begin
print 'Hello proc 2'
end
GO
--3
create procedure proc_teste_3
as
begin
print 'Hello proc 3'
end
GO

--------------------------------------------------------------------
--valida permissões:
sp_helprotect
----------------------
--grants:
GRANT VIEW DEFINITION to Pombo;

GRANT EXECUTE ON schema::[dbo] to Pombo;

Para excutar como usuário POMBO logado:

--ver metadados
sp_helptext 'proc_teste_1'

sp_helptext 'proc_teste_2'

--altera a definição
--nao funciona, não há permissão de ALTER
GO
alter procedure proc_teste_2
as
begin
print 'Hello proc 22'
end
GO

--execução das procs
exec proc_teste_1
go
exec proc_teste_2
--depois de criada
exec proc_teste_3

 

Fala galera,

Neste vídeo mostro como criar e pra que serve um snapshot de banco de dados, uma fotografia de um determinado momento de toda sua base.

Este recurso é particularmente interessante se em algum momento sua base sofrerá uma série de alterações (e você fica sabendo antes porque te avisaram) e você precisa reverter rapidamente toda sua base de dados para o estado original antes das alterações.

No vídeo mostro como criar um snapshot, como gerar o script pro mesmo e como reverter uma base com ele.

Atenção: O Snapshot NÃO é uma solução de backup!!! Nunca substitua um pelo outro, o Snap é apenas um complemento que pode te ajudar a ganhar tempo.

Use por sua própria conta e risco, testado em um SQL SERVER 2014.

Happy SQL SERVING!

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

 

Cria a base de dados:


--USE [master]
GO

--cria a base de dados
CREATE DATABASE [snapteste]
CONTAINMENT = NONE
ON PRIMARY
( NAME = N'snapteste_1', FILENAME = N'F:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL12.MSSQLSERVER\MSSQL\DATA\snapteste_1.mdf' , SIZE = 3072KB , MAXSIZE = UNLIMITED, FILEGROWTH = 1024KB ),
( NAME = N'snapteste_2', FILENAME = N'F:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL12.MSSQLSERVER\MSSQL\DATA\snapteste_2.ndf' , SIZE = 3072KB , MAXSIZE = UNLIMITED, FILEGROWTH = 1024KB ),
( NAME = N'snapteste_3', FILENAME = N'F:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL12.MSSQLSERVER\MSSQL\DATA\snapteste_3.ndf' , SIZE = 3072KB , MAXSIZE = UNLIMITED, FILEGROWTH = 1024KB )
LOG ON
( NAME = N'snapteste_log', FILENAME = N'F:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL12.MSSQLSERVER\MSSQL\DATA\snapteste_log.ldf' , SIZE = 1024KB , MAXSIZE = 2048GB , FILEGROWTH = 10%)
GO

----------------------------------------------------------------------------------

Gera a estrutura de datafiles para o script:

--gera os caminhos de snapshot
select '( name = '+name+', filename = '''+'F:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL12.MSSQLSERVER\MSSQL\SShots\'+name+'.ss'''+'),'
from sys.master_files
where db_name(database_id) = 'snapteste' --nome da base
and type = 0 --somente arquivos de dados
GO
--------------------------------------------------------------------------------

Manipula o Snapshot:

--cria o snapshot
CREATE DATABASE snapteste_snap_2200
on
( name = snapteste_1, filename = 'F:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL12.MSSQLSERVER\MSSQL\SShots\snapteste_1.ss'),
( name = snapteste_2, filename = 'F:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL12.MSSQLSERVER\MSSQL\SShots\snapteste_2.ss'),
( name = snapteste_3, filename = 'F:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL12.MSSQLSERVER\MSSQL\SShots\snapteste_3.ss')
as snapshot of snapteste;
GO

--elimina o snapshot:
--nunca execute!
--drop database snapteste_snap_2200

--Sintaxe do comando de snapshot:
CREATE DATABASE database_snapshot_name
ON
(
NAME = logical_file_name,
FILENAME = 'os_file_name'
) [ ,...n ]
AS SNAPSHOT OF source_database_name

-------------------------------------------------------------------------------------------------
--cria tabela de teste
use snapteste
GO
create table baloon_dados
(id uniqueidentifier primary key,
mensagem varchar(500))

--loop de inserção
set nocount on
insert into baloon_dados(id,mensagem)values(newid(),'teste-mensagem'+cast(newid() as varchar(300)))
go 10000
--veja os dados
GO
use snapteste
GO
select * from baloon_dados
GO

GO
use snapteste_snap_2200;
GO
select * from baloon_dados

--1: 1000 linhas - no snapshot
--2: 11000 linhas

--limpa a tabela
--cuidado
--truncate table baloon_dados
-------------------------------------------------------------------------------------------

--reverter a base de dados:
restore database snapteste from database_snapshot = 'snapteste_snap_2200'

Referência: https://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms175158.aspx


 

Fala galera, tudo bem?

Neste final de semana dia 26 aconteceu mais um SQL SATURDAY e tive o privilégio de ser um dos palestrantes. O evento estava show, muito bem organizado e muito bem estruturado!

12042931_1014529075257346_5315763647372675803_n
Pessoal que organizou e palestrou

12004019_897118407010231_8155663211432281071_n
Comparação de tecnologias In-Memory

Estou disponibilizando o material utilizado na apresentação sobre comparação de tecnologias In-Memory do SQL SERVER e ORACLE.

No ZIP vocês encontrarão tanto o powerpoint utilizado quanto os scripts!

apresentação_SQLSAT424_INMemory_Compare

Happy SQLSERVING!

Fala pessoal, boa tarde a todos!

Nesta série de posts vou exemplificar de maneira prática algumas das diferentes formas de construção de uma solução de alta disponibilidade utilizando o SQL SERVER 2014.

A ideia é iniciar a série com esta breve introdução e simular situações utilizando o Hyper-V (Microsoft only please! :-)) para montar uma infra virtual que represente dois datacenters distintos com link entre eles.

Vamos passar por alguns conceitos como:

  • O que esperar da alta disponibilidade e qual sua importância;
  • Cluster geográfico;
  • Cluster local;
  • Always On Failover Cluster Instances;
  • Always On Availability Groups

Para construirmos o ambiente virtual de dois datacenters utilizaremos os conceitos apresentados no site http://zeddylabs.com/2015/03/building-enterprise-environment-lab-for-development-with-windows-8-hyper-v/

É isso galera, espero que ajude bastante.

Até breve!

Fala galera,

Segue link do hangout fiz pelo site codificando – se você não conhece, acesse JÁ: http://codificando.net/.

Falei a respeito dos processos de T.I. na nossa vida de DBA: http://live.codificando.net/2015/05/edicao-48-dba-vs-itil-como-os-processos-podem-ajudar-e-atrapalhar-a-vida-do-dba/

A apresentação está neste link: sql-itil

O hangout:

Espero que gostem e aguardo feedbacks!

Abraços a todos!

 

 

 

Bom dia!

Se você está participando ou participou de algum curso oficial Microsoft aqui mostro como baixar o conteúdo dos exercícios.

Encontre seu curso pelo código neste site: https://www.microsoft.com/learning/en-us/companion-moc.aspx

Se estiver fazendo o curso de query em 2012, o código é 10774, se for o de query em 2014, procure pelo 20461C. No link você pode baixar um documento complementar ao curso e os scripts para reproduzir os exercícios em casa. Ótimo para estudar! 🙂

Se quiser, também pode baixar a versão free do SQL SERVER, o Express: http://www.microsoft.com/en-us/server-cloud/products/sql-server-editions/sql-server-express.aspx

Caso esteja fazendo um curso de Administração, será bacana testar a versão evaluation, com features de Enterprise, mas com tempo hábil para encerrar os testes e estudar para as certificações (180 dias!): http://www.microsoft.com/en-us/evalcenter/evaluate-sql-server-2014

Demonstrações de funções: scripts_demo_functions_modulo_6

Espero que seja útil!

Abraços a todos!

 

É isso aí galera. Gostaria de convidá-los a participar de mais um evento da comunidade técnica de SQL SERVER: O SQLSATURDAY, vai ser o número 361 e este vai ocorrer em Joinville. Se você estiver por lá no dia 25/04/2015 não dei xe de comparecer no evento!

São 3 trilhas de palestras o dia todo de caras FERAS no SQL SERVER e alguns Noobs (eu…). Neste dia vou comparar superficialmente as arquiteturas de Oracle e SQL SERVER e apresentar algumas das principais ferramentas que usamos no Oracle. Vou mostrar a importância de conhecermos duas tecnologias de SGBDs para nosso desenvolvimento profissional.

Inscreva-se, é grátis! Graças aos patrocinadores!

Home page do evento: https://www.sqlsaturday.com/361/eventhome.aspx

ps: Não, não vou puxar a sardinha pro lado do SQL SERVER, quem me conhece sabe que eu jamais faria isso! 😉

 

sql-server-2014 oracle

Neste video demonstro a diferença entre os modelos de recuperação FULL e BULK-LOGGED no SQL SERVER. Bem como as vantagens e desvantagens de cada um e suas implicações na escolha da política de Backup.

Veja a primeira parte: http://www.dbbits.com.br/sqlserverrocks/2015/03/modelos-de-recuperacao-no-sql-server-parte-1/

Comando BULK INSERT: https://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms188365.aspx
Operações minimamente logadas: https://msdn.microsoft.com/en-us/library/ms190422.aspx